20 março 2011

O outono começa em nós


"Oh! Silenciosa e tranquila manhã de outono! Tuas folhas logo logo vão cair. Se amanhã o vento soprar forte, todas juntas vão partir. Piam pássaros na floresta anunciado que amanhã se irão, de repente. Oh! Silenciosa tranqüila manhã de outono, faz as horas passar lentamente. Meu coração compreenderá se o enganares; engana-me com teus falares. Faz o dia parecer menos curto, soltando só uma folha pela manhã. A outra, que só ao meio dia se vá; uma de nossas árvores, outra de acolá. Retarda o sol com suave bruma, encanta os campos com sua verde espuma. Devagar! Devagar! Por amor às uvas amedrontadas, já queimadas de geada: seus bagos poderão gelar. Devagar! Devagar! Por amor às uvas amedrontadas, desamparadas, ao longo da estrada..."

Robert Frost



Está fazendo um dia lindo de outono. A praia estava cheia de um vento bom, de uma liberdade. E eu estava só. E naqueles momentos não precisava de ninguém. Preciso aprender a não precisar de ninguém. É difícil, porque preciso repartir com alguém o que sinto. O mar estava calmo. Eu também. Mas à espreita, em suspeita. Como se essa calma não pudesse durar. Algo está sempre por acontecer. O imprevisto me fascina.

Clarice Lispector


Nenhum comentário:

Postar um comentário

GAROTA DE OUTONO

GAROTA DE OUTONO

Por um 2010 mais romântico!

Loading...