29 agosto 2010

Neruda sempre!


Madrigal Escrito  No Inverno

No fundo do mar profundo,
na noite de longas riscas,
como um cavalo cruza correndo
o teu calado calado enorme.

Aloja-me em tuas costas, ai, refugia-me,
aparece-me no teu espelho, de repente,
sobre a folha solitária, noturna,
brotando do escuro, atrás de ti.

Flor da doce luz completa,
socorre-me a tua boca de beijos,
violenta de separações,
determinada e fina boca.

Afinal, no longe do longe,
de olvido a olvido residem comigo
os trilhos, o grito da chuva:
o que a escura noite preserva.


Acolhe-me na tarde de linho,
quando ao anoitecer trabalha
o seu vestuário e palpita no céu
uma estrela cheia de vento.

Chega-me a tua ausência até o fundo,
pesadamente, tapando-te os olhos,
cruza-me a tua existência, supondo
que o meu coração está destruído.

Pablo Neruda

Por que ninguém soube entender de sentimentos complicados como ele!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

GAROTA DE OUTONO

GAROTA DE OUTONO

Por um 2010 mais romântico!

Loading...