02 março 2009

Que Fim Levaram Todas As Flores




Sempre penso que estou ficando cada vez mais forte e sábia, e isso é verdade, dependendo do referencial. E, pra ser bem sincera, ainda sou muito muito muito medrosa.
Acho incrível como sempre tem alguém que diz que me ama mas não quer estar ao meu lado. E isso me deixa mais frustradas do que minhas tentativas fracassadas de relacionamentos.
No entanto, não posso reclamar pois sempre tem um amigo para socorrer quando a carência aperta. Alguns amigos aparecem sempre nos momentos errados para mim mas totalmente perfeitos para nós dois.
Estou tentando não morrer de ciúmes nem admitir que errei, que as coisas poderiam ter sido diferentes se eu tivesse agido. E provavelmente teriam. E por medo de perder a batalha - que eu provavelmente teria ganhado - me recolhi e perdi a guerra inteira!!!!!!
A minha próxima batalha então será lutar contra a minha covardia, eu ia dizer neutralidade mas a neutralidade é apenas uma consequencia da minha covardia!!!!
E eu prometo que não mais terei conversas escondidas no meio de outras conversas para que ninguém entenda.



Ojala

Ojalá que las hojas no te toquen el cuerpo cuando caigan
para que no las puedas convertir en cristal.
Ojalá que la lluvia deje de ser milagro que baja por tu cuerpo.
Ojalá que la luna pueda salir sin tí.
Ojalá que la tierra no te bese los pasos.

Ojalá se te acabé la mirada constante,
la palabra precisa, la sonrisa perfecta.
Ojalá pase algo que te borre de pronto:
una luz cegadora, un disparo de nieve.
Ojalá por lo menos que me lleve la muerte,
para no verte tanto, para no verte siempre
en todos los segundos, en todas las visiones:
ojalá que no pueda tocarte ni en canciones

Ojalá que la aurora no dé gritos que caigan en mi espalda.
Ojalá que tu nombre se le olvide a esa voz.
Ojalá las paredes no retengan tu ruido de camino cansado.
Ojalá que el deseo se vaya tras de tí,
a tu viejo gobierno de difuntos y flores.

Silvio Rodriguez



Te doy una cancion

Como gasto papeles recordándote
como me haces hablar en el silencio
como no te me quitas de las ganas
aunque nadie me ve nunca contigo
y como pasa el tiempo que de pronto son años
sin pasar tú por mi, detenida

Te doy una canción
si abro una puerta
y de las sombras sales tú,
te doy una canción de madrugada
cuando mas quiero tu luz,
te doy una canción
cuando apareces
el misterio del amor
y si no no apareces
no me importa
yo te doy una canción.

Si miro un poco afuera me detengo
la ciudad se derrumba
y yo cantando
la gente que me odia y que me quiere
no me va ha perdonar
que me distraiga,
creen que lo digo todo
que me juego la vida
porque no te conocen
ni te sienten.

Te doy una canción y hago un discurso
sobre mi derecho ha hablar,
te doy una canción
con mis dos manos
con las mismas de matar,
te doy una canción
y digo patria
y sigo hablando para ti,
te doy una canción
como un disparo
como un libro
una palabra
una guerrilla...
como doy el amor.

Silvio Rodriguez



Across The Universe

Words are flowing out like endless rain into a paper cup,
They slither while they pass they slip away across the universe.
Pools of sorrow, waves of joy are drifting through my opened mind,
Possessing and caressing me.

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world.

Images of broken light which dance before me like a million eyes,
They call me on and on across the universe.
Thoughts meander like a restless wind inside a letter box,
They tumble blindly as they make their way across the universe

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world.

Sounds of laughter, shades of love are ringing through my opened ears,
Inciting and inviting me.
Limitless undying love, which shines around me like a million suns,
And calls me on and on across the universe.

Jai guru deva, Om.

Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world,
Nothing's gonna change my world.

Beatles



Sleep On Needles

Ask me anything you like
I'll reveal everything
I will treasure the truth
You could know anything
I am but a fool to play unaware of things
If I'd treasured the truth
I would tell it to you
I'm coming down to tell you what I know
To say what's real, to let you know
Where I have been and how I had to

Sleep on needles
You'll believe you are hard
Sleep on needles
And hear only the truth

Am I likely to succeed with the way things are?
Judging by your smile
You are holding something back
I'm sleepless around midnight
There's a change in the wind
The remembrance of things you used to hold back
I come around each time your notes are high
To tear you down and drag you up
To let you know what's going on while I

Sleep on needles
You'll believe you are hard
Sleep on needles
And hear only the truth

Sondre Lerche

2 comentários:

  1. Vim aqui por causa de um comentário que me deixou no blog e fiquei a conhecer o «Crepusculário». Gostei muito da escrita deste «Que Fim Levaram Todas As Flores». No fundo todos nós, em determinado período e sobre algum assunto - mas principalmente nos que se referem ao relacionamento inter-pessoal e sentimental - quando nos introspeccionamos, concluímos que as coisas podiam ter sido diferentes. Excepcional (ainda que desolador) este «Acho incrível como sempre tem alguém que diz que me ama mas não quer estar ao meu lado», mas embora não a conheça fico satisfeito pela conclusão de que «Sempre penso que estou ficando cada vez mais forte e sábia, e isso é verdade». Prometo voltar até porque o Crepusculário passou a fazer parte do meu blogroll.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pe comentário... volte sempre... será sempre bem vindo... é uma companhia... já que estou sempre sozinha por aqui e em qualquer lugar!!!!! :)

    ResponderExcluir

GAROTA DE OUTONO

GAROTA DE OUTONO

Por um 2010 mais romântico!

Loading...