18 junho 2008

Quem Havia de Imaginar


Acordar cedo é difícil, principalmente no frio, mas tem suas recompensas.
Por exemplo, ver o sol nascendo e iluminando tudo, as árvores floridas, uma andorinha passeando lentamente bem próxima à água do mar
E eu achando que era apática
Em relação a determinadas coisas sou mesmo mas não a isso, não ao espetáculo diário de renascimento do mundo
Ontem, passando pelo mesmo lugar, eu consegui enxergar toda essa beleza
Tudo de ruim se dissipa perante o eterno, o mundo se torna perfeito por uns instantes.
Muita paz e muito amor para todo mundo
Que todos os dias nós possamos enxergar essas belezas todas, ou, pelo menos, que todos os dias acordemos com vontade de enxergá-las


O Azul e o Tempo

Nada pra se acreditar
Mas o tempo não manchou o azul
Nada pra se acreditar
Mas o vento baila o mar azul
Nada pra se acreditar
Mas tá tudo azul
Nada pra se acreditar
Mas a fé tingiu o azul de anil
Nada pra se acreditar
Mas os santos rezam pro Brasil
Nada pra se acreditar
Mas você ja viu
Tudo que vai rebrilhar
Tudo que vai renascer
Tudo que vai nos salvar
Sem que a gente espere
Canta pra comemorar
Grita para amanhecer
Solta o choro da alegria
Que a paz adere

Oswaldo Montenegro

Água Viva

Eu conheço bem a fonte
Que desce aquele monte
Ainda que seja de noite
Nessa fonte está escondida
O segredo dessa vida
Ainda que seja de noite
"Ê ta" fonte mais estranha
Que desce pela montanha
Ainda que seja de noite
Sei que não podia ser mais bela
Que os céus e a terra, bebem dela
Ainda que seja de noite
Sei que são caudalosas as torrentes
Que regam os céus, infernos, regam gentes
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite

Assim como todas as portas são diferentes
aparentemente todos os caminhos são diferente
Mas vão dar todos no mesmo lugar
O caminho do fogo é a água
Assim como o caminho do barco é o porto
O caminho do sangue é o chicote
Assim como o caminho do reto é o torto
O caminho do risco é o sucesso
Assim como o caminho do acaso é a sorte
O caminho da dor é o amigo
O caminho da vida é a morte

Nessa fonte está escondida
O segredo dessa vida
Ainda que seja de noite
"Ê ta" fonte mais estranha
Que desce pela montanha
Ainda que seja de noite
Sei que não podia ser mais bela
Que os céus e a terra, bebem dela
Ainda que seja de noite
Sei que são caudalosas as torrentes
Que regam os céus, infernos, regam gentes
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite
Ainda que seja de noite


Raul Seixas e Paulo Coelho


Me lembro como eras no último outono.
Eras a boina cinzenta e o coração em calma.
Nos teus olhos brigavam as chamas do crepúsculo.
E as folhas caíam na água da tua alma.

Colada aos meus braços como uma trepadeira,
as folhas recolhiam a tua voz lenta e em calma.
Fogueira de espanto em que a minha sede ardia.
Doce jacinto azul torcido sobre a minha alma.

Sinto viajarem teus olhos e é distante o outono:
boina cinzenta, voz de pássaro e coração de casa,
para onde emigraram os meus profundos desejos
e caíam os meus beijos alegres como brasas.

Céu (visto) de um navio. Campo (visto) dos montes:
tua lembrança é de luz, de fumaça, de lago em calma!
Mais para lá dos teus olhos ardiam os crepúsculos.
Folhas secas de outono giravam na tua alma.

Pablo Neruda

Um comentário:

GAROTA DE OUTONO

GAROTA DE OUTONO

Por um 2010 mais romântico!

Loading...