10 abril 2008

KANT E SCHOPENHAUER


A filosofia de Arthur Schopenhauer influenciou Nietzsche, Wittgenstein, Horkheimer, Sartre, Cioran, Kafka, Thomas Mann, Freud, etc.
E sofreu forte influencia de Emmanuel Kant.
As duas principais proposições de sua filosofia, que ele julga como verdades incontestáveis são "o mundo é a minha representação" e "o mundo é a minha vontade".
De Kant ele tirou a base de sua filosia que é a idéia de o nosso conhecimento reside em nós mesmo. A idéia de que tudo o que vemos é uma representação, ou seja, não vemos a coisa-em-si, vemos em tudo que enxergamos e julgamos conhecer uma representação de nós mesmos.
Ele chama de fenômeno os objetos tais quais eles nos parecem e diz que os fenômenos são representações da vontade.E a essência da coisa-em-si é a Vontade que é um impulso cego, uma força vital, um esforço de vida, um querer viver incessante que seria o fundo íntimo e essencial de todo o universo.
O mundo como representação é a vontade tornada objeto.
Gravidade, impenetrabilidade, solidez, fluidez, elasticidade, eletrecidade, magnetismo são manifestações imediatas da vontade.
A vontade é incessante e insaciável. Partindo de necessidades, de um sofrer, o homem deseja algo e lança-se com esforço à sua realização; mas um desejo saciado é apenas o ponto de partida para um outro desejo, uma nova busca.Quando consegue saciar seus desejos, o homem tem um prazer passageiro ou ainda tédio; tem dor quando não o faz ou quando sua realização se dá de forma lenta. Quando não sabe o que quer, quando seu desejo não tem um objeto determinado, o homem se aborrece e se encontra num estado de "languidez mortal". A vida humana é assim, profundamente marcada por sofrimento, pois ela é apenas a manifestação de uma vontade infindável, esfomeada, irresistível e insaciável. Schopenhauer diz que o ser humano não nasce condenado à morte; o homem nasce condenado à vida. "Viver é sofrer". Daí sua fama de pessimista.
Outra das razões que o levaram a ser rotulado de pessimista é o fato de ele acreditar que a vida de um indivíduo humano, como a vida de qualquer outro ser e como qualquer acontecimento do universo, não seria algo que obedece a alguma razão, lei ou dignidade elevada ou divina. Para ele, uma vida humana, com sua história, suas realizações, seus desejos, suas dores, aspirações, sentimentos, ideais e projetos, nada mais são do que um fenômeno passageiro da vontade. E a vontade insaciável se refaz constantemente por ela mesma; "sob as diversas formas que reveste, constitui seu próprio alimento".

Revista Filosofia Ciência e vida

Resolvi falar sobre Schopenhauer por que estou lendo ele e tenho ficado cada vez mais impressionada com o fato de ele falar sobre várias coisas nas quais acredito mas não fazia idéia de onde vinham.
Falarei mais depois sobre ele e sobre outros que de maneira direta mas principalmente de maneira indireta influenciaram tudo em que eu acredito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

GAROTA DE OUTONO

GAROTA DE OUTONO

Por um 2010 mais romântico!

Loading...